A MAÇONARIA ESTÁ MUDANDO, AO INVÉS DE QUERERMOS SER RECONHECIDOS POR ENTIDADES DO EXTERIOR, AGORA QUEREMOS SER RECONHECIDOS POR NÓS MESMOS !

Novos tempos parece que estão se descortinando no horizonte Maçônico do Brasil. Movimentos de diferentes Potências Maçônicas, à princípio descoordenadas entre si, parecem que estão convergindo para um ponto comum que busca o entendimento, a união, o compartilhamento, a troca de experiências, enfim, os Maçons Brasileiros parece que estão descobrindo que a Maçonaria que queremos para o Brasil deverá ser feita por nós mesmos, os irmãos e Lojas das 3 Potências Maçônicas e por quem são os atores atuantes no momento. O que construirmos agora será o que teremos em nosso futuro próximo, esse é o entendimento que todos devemos ter. Se trabalharmos pela união, teremos a união e o crescimento como um todo. Se trabalharmos pelo desentendimento, pela segregação, pela diminuição do outro, o que conseguiremos será somente a desunião, o enfraquecimento e, consequentemente, perderemos nossa credibilidade perante o mundo profano.
Os exemplos vão se sucedendo: Maçons de Pernambuco do GOPE tornando-se independentes, Maçons de São Paulo do GOSP tornando-se independentes, e parece que o entendimento que “era imprescindível para uma Potência em determinado Estado que houvesse um reconhecimento do exterior” para que essa Potência fosse “considerada irmã” aos poucos está desaparecendo. Mais importante que ter algum documento ou saber que “tal Loja é reconhecida por essa ou essa entidade do exterior” é sabermos que nossos irmãos aqui no Brasil nos reconhecem como tal.
Um exemplo do que descrevemos acima é o decreto 2228 editado dia 22/09/2018 pela Grande Loja de Minas Gerais, que reconhece o Grande Oriente de Minas Gerais e promove o compartilhamento de território jurisdicional maçônico entre as duas Potências, e também ratificando a permissão que os irmãos participem das atividades das Lojas entre si. Isso sim é motivo de júbilo e de aplausos, pelo entendimento que estes irmãos de Minas Gerais estão promovendo, à exemplo de outros Estados em que esse relacionamento já está determinado. O importante para estas Potências é que entre nós, Maçons Brasileiros, não deve existir divisão. Parabéns ao Sereníssimo Grão Mestre José Humberto Bahia, do Grande Oriente de Minas Gerais, seu Grande Secretário de Relações Exteriores Miguel Simão Neto, e ao Sereníssimo Grão Mestre da Grande Loja Maçônica de Minas Gerais, Edilson Oliveira, pelo seu elevado espírito de fraternidade maçônica e que almeja tão somente o engrandecimento da Ordem, pela atitude tomada para elevar a Maçonaria de Minas e também a do Brasil, no rumo da União que tanto almejamos.;

7 comentários

  • Roberto Mitio Katsumoto

    IRMÃOS divergência na convergência é salutar, faço uma sugestão, se for viável melhor ainda, senão deixa pra lá. Quando da proximidade do dia do Maçom, que as Lojas se organizem, se unam e façam uma semana cultural ou mês cultural, tendo como fechamento, final, uma grande CONFRATERNIZAÇÃO, para selar o evento cultural.

  • Ailton de Araújo

    *Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união!* Que comece essa união dentro de casa!

  • Carlis Eduardo Vital

    Isso sim é maçonaria irmãos em harmonia. O importante é estarmos unidos em nosso Brasil, viva a Maçonaria Unida.

  • Marcelo Padin

    Acredito que o reconhecimento externo só se dará quando formos reconhecidos entre nós primeiro.

  • Helder Pereira

    Caros Irmãos,
    Sou da Loja Arquitetos de Ormuzd de Bauru com 120 anos de existência.
    Uma Loja que sobreviveu a três ou mais turbulências, fruto das vaidades mundanas.
    Nós todos somos maçons, quer reconhecidos por tal ou não. Mas sabemos do MICTMR.
    Agora estamos passando por uma turbulência onde o nosso ex GOSP com menos de 50% de anuência dos irmãos das Lojas filiadas ao GOB decidiram pela desfiliação.
    Nós continuamos e continuaremos fiéis a nossa tradição e ao juramento prestado.
    Independente dessas frescuras de reconhecimento nacional ou não tenho em mente todos sabemos as mesmas coisas da maçonaria, e não há razão para afastamentos morais entre nós.
    Podem até nos proibirem de ir ver os irmãos de vossas Lojas, mas que somos todos irmãos somos. Não há muro de Berlim ou das Coreias.
    Esse tal de reconhecimento internacional para mim não fede e nem cheira. Na 2.a Guerra mundial maçons se mataram em nome de suas Pátrias. E quando se tornavam prisioneiros não tinham regalias.
    Vamos viver em paz e deixar os ambiciosos e tolos se engalfinharem pelas nossas almas.

    • Willian

      Parabéns irmãos pura verdade tudo que diz. Estas coisas de potência são pura vaidade. Já viu se todos os irmãos fossem unidos em nome da Maçonaria. Irmão podendo ir visitar outro irmão seja qual loja for e lugar.
      Nunca vi uma proibição absurda você não poder visitar seu irmão.
      Olha, um ano depois de seu comentário continua a mesma coisa.

  • Israel Dantas

    Não posso compreender e aceitar que um irmão possa proibir outro irmão de visitar essa oU aquela Loja sem ferir um dos princípios básicos de nossa Ordem do “Livre Arbítrio” ou se preferirem: Somos homens livres e de bons costumes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *